CHAMADA PARA PUBLICAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS – FLORENCE EM REVISTA

 

A Revista Florence, publicação acadêmico-científica do Instituto Florence de Ensino Superior, lançou edital para submissão de trabalhos científicos para publicação na sua 9ª Edição. 

A FLORENCE EM REVISTA (ISSN 2177-8035) caracteriza-se por um viés multidisciplinar, que contempla, preferencialmente, a área da saúde abrangendo as subáreas das Ciências Biológicas, Farmácia, Educação Física, Enfermagem, Fisioterapia, Biomedicina, Medicina, Nutrição, Psicologia, Odontologia, entre outras.

O período para submissão dos trabalhos será de 18/09/2018 a 05/10/2018 e os trabalhos deverão ser encaminhados para o e-mail [email protected].

CHAMADA PARA PUBLICAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS – FLORENCE EM REVISTA: 

Informações Gerais para os Autores
Normas Florence em Revista 2018

COMUNICADO FIES – ADITAMENTO

O Instituto Florence de Ensino Superior comunica a todos os alunos contemplados pelo Financiamento Estudantil – FIES que o prazo para dilatação expira em 30 de setembro e o prazo para renovação do financiamento em 30 de outubro.

Dúvidas e outras informações podem ser consultadas junto à Comissão do Fies (na Secretaria Acadêmica – SECAD) ou por meio do número 3878 2109.

RESULTADO FINAL – PROGRAMA DE MONITORIA ACADÊMICA 2018.2

A Coordenadoria de Pesquisa e Extensão (Conex) informa o resultado final para o Processo Seletivo de Monitoria Acadêmica 2018.2.

Os alunos aprovados devem entregar, via requerimento,  para Coordenação de Pesquisa e Extensão (CONEX) até o dia 26/09/2018, os documentos necessários para validação da monitoria, que estão disponíveis no site da IES (MONITORIA – FLORENCE).

Comitê de Ética em Pesquisa do FLORENCE

O Instituto Florence de Ensino Superior – IFES está em fase de implantação do nosso Comitê de Ética em Pesquisa (CEP – Florence). Vale lembrar que o CEP é um órgão colegiado interdisciplinar e independente, de relevância pública, de caráter consultivo, deliberativo e educativo, criado para defender os interesses dos participantes da pesquisa em sua integridade e dignidade e para contribuir no desenvolvimento da pesquisa dentro de padrões éticos, em conformidade com as disposições da Resolução Nº 466, de 12 de dezembro de 2012, do Conselho Nacional de Saúde, e Resoluções Complementares.

O CEP tem por finalidade avaliar e acompanhar pesquisas envolvendo seres humanos, realizadas por pesquisadores do IFES e de outras instituições indicadas pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP), preservando os aspectos éticos em defesa da integridade e dignidade dos voluntários participantes das pesquisas, individual ou coletivamente, considerando o pluralismo moral da sociedade brasileira.
Para implantação deste faz-se necessário que os professores interessados em participar como membro do Comitê de Ética preencham os apêndices que estão no Edital e protocole-os via Secad.

Edital Comitê de Ética em Pesquisa do FLORENCE – CEP

Coordenadora do curso de Nutrição do Florence tem trabalho aceito em evento internacional que acontecerá no México

A Profa. Ma. Eduarda Gomes Bogea, submeteu seu trabalho intitulado “DIETARY PATTERNS AMONG CHILDREN 15 TO 35 MONTHS OF AGE AND ASSOCIATION WITH MATERNAL CHARACTERISTICS IN A CITY IN NORTHEAST OF BRAZIL” ao “6th International Symposium on Metabolic Programming and Microbiome” e o mesmo foi aceito.

O evento acontecerá na cidade de Cancun, no México, entre os dias 7 e 10 de novembro, deste ano. Somente 230 trabalhos foram aceitos para o evento e como prêmio, patrocinado pela Nestlé, a nossa Coordenadora ganhou 4 diárias no hotel onde será realizado o evento.

Estamos orgulhosos e felizes por essa conquista!

Instituto Florence recebe a presença do Prof. Dr. Lenio Streck

O Instituto Florence de Ensino Superior recebe, nesta sexta-feira (21/09), o Prof. Dr. Lenio Streck. Mestre e Doutor em Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina, Lenio Streck é também membro da comissão permanente de Direito Constitucional do Instituto dos Advogados Brasileiros, do Observatório da Jurisdição Constitucional do Instituto Brasiliense de Direito Público, ex-Procurador de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul e autor de livros na área de Direito Constitucional.

O renomado Professor fará uma breve fala aos alunos do Curso de Direito da Instituição, às 10h, no Auditório do Instituto Florence.

INSTITUTO FLORENCE MARCA PRESENÇA NO CONGRESSO NORDESTINO DE DIREITO CONSTITUCIONAL

São Luís realiza, de 19 a 21 de setembro, Congresso Nordestino de Direito Constitucional. O evento, que acontece no Rio Poty Hotel, conta com a presença de grandes nomes do Direito no Brasil, tais como José Eduardo Cardozo e Rodrigo de Bittencourt Mudrovitsch.

O Congresso, organizado pelo Parlatório Jurídico, recebeu na sua noite de abertura, a Palestra Magna com Prof. Lenio Streck (RS), que abordou o tema: “A Eterna Batalha do Direito Contra os Predadores”.

O evento, realizado em homenagem a Lenio Streck, contou com a participação da Profa. Dra. Ana Maria Marques, advogada e Coordenadora de Pesquisa e Extensão do Instituto Florence de Ensino Superior, que na mesa de abertura representou a Instituição de Ensino e homenageou o célebre doutor do Direito.

Para a profa. Ana Maria Marques: “Trata-se de um momento ímpar para o Direito no Maranhão, sobretudo se considerarmos o atual contexto histórico onde se faz imperativa a defesa dos direitos reconhecidos pela Constituição Federal.” A programação continua nesta quarta-feira (20) e pode ser acessada no site: www.parlatoriojuridico.com.br.

Ao final do evento, o Instituto Florence ofereceu um jantar aos palestrantes e contou com a presença da Diretora Geral da Instituição, a Profa. Dra. Rita Ivana Barbosa Gomes.

Profa. Dra. Ana Maria Marques (Instituto Florence) prestando homenagem ao Prof. Dr. Lenio Streck

Alunos do Curso de Nutrição participam de aula prática na disciplina de ‘Composição dos Alimentos’

Alunos do Curso de Nutrição em aula experimental

Os alunos do Curso de Nutrição participaram, nesta terça-feira (18), de aula prática sobre os Grupos Alimentares com a Profa. Ma. Wyllyane Carvalho. A aula tratou sobre os vários grupos alimentares e os alunos puderam experimentar, na prática, toda a teoria ministrada, em sala de aula, pela professora.

 
No Florence a prática é desde o 1º período! #VemProFlorence!

MEDICAMENTOS FORA DE VALIDADE: Coordenação do Curso de Farmácia do Florence orienta para o descarte correto do material vencido

O descarte correto do medicamento vencido é uma dúvida comum. Para evitar que ele seja utilizado, muitas pessoas costumam se livrar do medicamento fora da validade colocando-o no lixo comum ou na privada. Porém, essa atitude pode contaminar solos, água e colocar em risco a vida de pessoas que manuseiam resíduos nos aterros sanitários.

O Coordenador do Curso de Farmácia do Instituto Florence de Ensino Superior, Professor Luiz Fernando Ramos, explica que a maneira correta de descartar medicamentos vencidos é incinerá-los. Mas, no Brasil, a logística reversa, que é um conjunto de ações que viabilizam a coleta e a restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial para reaproveitamento, ainda não está regulamentada.

O Coordenador afirmou, ainda, que caso a logística reversa funcionasse, o medicamento faria outro percurso: “O consumidor entregaria o medicamento à farmácia, que passaria ao distribuidor e, enfim, ao fabricante, para que o medicamento fosse incinerado”.

Porém, como a farmácia não é obrigada a realizar o serviço, apenas oferta como cortesia. Então, até que a medida da logística reversa seja efetivada, a sugestão é de que as pessoas procurem as farmácias que possuem displays para receber os medicamentos vencidos.

“É importante frisar que o remédio é um produto químico”, enfatizou o Coordenador. Por isso, ao jogar um remédio vencido no lixo ou no vaso sanitário, a pessoa pode gerar consequências graves ao meio ambiente: as substâncias químicas das drogas podem contaminar o solo, a água e a atmosfera quando vão parar no aterro sanitário ou na rede de esgoto comum.

O professor contou que uma das possibilidades de evitar um grande quantitativo de medicamentos vencidos é a partir da venda da medicação fracionada. Ele explicou que é ilegal cortar a cartela do remédio para venda e essa iniciativa retira as informações do medicamento, que são necessárias a quem vai utilizá-lo.
Mas, no caso da medicação fracionada, que é regularizada, em cada pedaço da cartela picotada existem todas as informações que o paciente precisa saber sobre o medicamento. No entanto, essa medida entra em confronto com os interesses da indústria farmacêutica.
Fiscalização – Segundo o Coordenador, nos casos de unidades de saúde, públicas ou particulares, como hospitais, consultórios odontológicos e veterinários, dentre outros, esses estabelecimentos devem firmar contrato com empresa licenciada pela Vigilância Sanitária.
Caso os estabelecimentos não cumpram a exigência de firmar contrato com empresa especializada em descarte de material, os proprietários serão notificados, podendo ser interditados parcialmente, com prazo para que se regularize ou, ainda, interditados definitivamente, no caso de reincidência, sendo impedidos de reabrir a unidade, além do pagamento de multa.

Os medicamentos são substâncias que podem ser tóxicas ou se tornar tóxicas após a sua decomposição. Quando jogados em locais inadequados, como lixo ou sistema de esgoto, os medicamentos contaminam a água e o solo, podendo afetar peixes e outros organismos vivos, além de pessoas que bebem dessa água e consomem ou se alimentam desses animais.

Restos de medicações, sem o destino correto, podem ocasionar reações adversas graves e intoxicações. De acordo com o Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas, o SINITOX, os medicamentos ocupam o primeiro lugar entre os agentes causadores de intoxicações desde 1996.

Atualmente, é discutido no âmbito da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), o funcionamento do sistema de descarte de medicamentos no País. O objetivo é que a população tenha alternativa apropriada para o descarte seguro e, ambientalmente, correto das sobras dos medicamentos por falta de uso ou com prazo de validade vencido.

Existem diversas iniciativas voluntárias que permitem o descarte de forma segura de medicamentos vencidos ou sobras de tratamentos, bem como de suas embalagens e de objetos perfurocortantes usados para ministrá-los, mas isso depende muito das empresas em aceitar esses produtos e destiná-los de forma correta. Geralmente, os resíduos de medicamentos, as embalagens, os objetos usados para ministrá-los, têm como destino final a incineração ou são levados para aterros industriais, dependendo do procedimento adotado em cada município.

Desde 2009, um regulamento da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) possibilita que farmácias e drogarias participem de programas voluntários de coleta de resíduos de medicamentos para descarte pela população. No entanto, isso, de alguma forma, gera custos a esses estabelecimentos, pois conforme a Logística Reversa deveria ser de início assim, uma vez que a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) estabelece como obrigatoriedade o descarte correto de medicamentos.

Riscos – Os problemas causados pela presença dos compostos de medicamentos no ambiente ainda não são muito bem conhecidos. Sabe-se que os medicamentos diluídos em água podem interferir no metabolismo e no comportamento de organismos aquáticos. Há fármacos que são persistentes e se acumulam no meio ambiente, além dos riscos de doenças na população e animais que podem encontrar medicamentos descartados no lixo e utilizá-los. Os antibióticos também são preocupantes, pois quando expostos ao meio ambiente, tornam as bactérias resistentes ao antibiótico em questão.

Outro problema se dá no âmbito da saúde pública. O armazenamento de medicamentos em casa aumenta o risco de intoxicação pelo uso indevido.

No Curso de Farmácia do Instituto Florence de Ensino Superior, a Professora Elizângela Motta desenvolveu junto com a Coordenação do Curso, a Liga de Gestão e Processos (LAGEP), que conta com três docentes e treze discentes de diferentes períodos, com finalidades de pesquisa também voltada para essa temática (com início 2018).

Outro projeto acadêmico desenvolvido para tratar do descarte correto do medicamento vencido, foi a Bula Informativa, que tem o intuito de levar à comunidade acadêmica e geral informações sobe o tema.

Os projetos descritos fazem parte da Política Institucional de associar, ao ensino, a pesquisa e a extensão de maneira regular, contribuindo, assim, com a melhoria da qualidade de vida da sociedade maranhense.

 

Florence recebe o perito Ricardo Molina no próximo dia 26

O Instituto Florence receberá, no próximo dia 26, uma das maiores referências em perícias criminais do país. Trata-se de Ricardo Molina, perito criminal e professor da Unicamp. O evento, que tem o apoio da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Maranhão, será realizado às 19h, no auditório da instituição de Ensino.

Na ocasião, o perito também lançará o seu livro “O Brasil na Fita – de Collor a Dilma, do caso Magri à Lava-Jato, o que vi e ouvir em mais de 20 anos”. Uma obra com cerca de 400 páginas onde o perito relata casos investigados em mais de duas décadas. Nada escapa ao olhar do perito que é conhecido também por controvérsias e polêmicas que costuma causar em muitas investigações.

A palestra é voltada para profissionais e estudantes de Direito, de Psicologia, peritos, dentre outras áreas. Os alunos do Instituto Florence terão descontos especiais nas inscrições e certificado de quatro horas. O valor da palestra para os  alunos da casa é de, apenas, R$ 20,00 (vinte reais).      

A perícia tornou-se cada vez mais importante para desvendar os fatos e decidir processos. Questões como “o que é ser um perito” e os casos em que atuou, em mais de duas décadas, serão relatados pelo palestrante durante o evento, em São Luís.

Graduado em Música (Composição e Regência), Mestre em linguística e Doutor em Ciência pela Universidade Estadual de Campinas – Unicamp, Ricardo  Molina já assinou laudos fundamentais para casos como o massacre de Eldorado dos Carajás, o assassinato de PC Farias e do Prefeito de Santo André, Celso Daniel. Mais recentemente, atuou em episódios como a Operação Lava-Jato, entre eles, em análises das gravações da conversa do Presidente Michel Temer com o empresário Joesley Batista, dono da J&F.

Importância da perícia – Em 2017, o Brasil computou o maior registro histórico de homicídios, foram mais de 61 mil óbitos por motivos violentos. O salto corresponde a 40% (quarenta por cento) em, apenas, dez anos. Apesar disso, 80%(oitenta por cento) dos crimes de homicídio nos Estados não são solucionados pelo Poder Público, segundo dados do levantamento “Onde Mora a Impunidade?”, publicado pelo Instituto Sou da Paz.

Enquanto o Brasil soluciona todos os anos, em média, de 5% a 10% dos homicídios, os Estados Unidos resolvem 65% dos casos; a França, 80%; e a Inglaterra chega a uma taxa de solução de homicídios de 90%. Um dos motivos para isso é a perícia – que aqui trabalha com um déficit de pessoal estimado em 30 mil peritos, segundo a Associação Brasileira de Criminalística (ABC), representante dos peritos das polícias estaduais. Além disso, o País não conta com lei federal que regulamente o modelo ou estrutura mínima para perícia nos Estados. E mais: a falta de equipamentos leva a situações como o perito deixar de fazer fotos do local do crime ou tirar um raio-X para achar um projétil em um corpo; e a situação fica pior ainda por conta da não preservação do local do crime pela polícia até a chegada do perito.
 
  
Serviço:
O que: Palestra e lançamento do livro de Ricardo Molina “O Brasil na Fita – de Collor a Dilma, do caso Magri à Lava-Jato, o que vi e ouvir em mais de 20 anos”.
Quando: 26/09/2018
Horário: 19h
Local: Auditório do Instituto Florence
Inscrições: R$ 20,00 (acadêmicos do Florence)
Onde se inscrever: inscriçõ[email protected]
Informações:  (98) 98220 3948 / 98344 4024