Instituto Florence realiza Curso de Extensão em Nutrição

O Instituto Florence de Ensino Superior, por meio da coordenação do Curso de Nutrição, realizou no último sábado (27), o Curso de Extensão na área de Nutrição: “Desvendando a importância do Kefir e de fermentos naturais para a prevenção de doenças”.

O Curso, com um tema inédito em faculdades de São Luís, que teve o objetivo de disseminar a importância do Kefir e da utilização de fermentos naturais na prevenção de doenças, foi realizado com exposição teórica e prática, ministrado pela nutricionista Geovana Campos Correa, especialista em Tecnologia e Inovações na área de alimentos e bebidas.

Esse é um tema que, segundo a especialista, está intimamente ligado a todos e, especialmente aos nutricionistas, porque lida diretamente com a saúde do cliente/paciente, e quanto mais souberem sobre grãos, cereais, tubérculos, raízes, e aproveitarem todo o alimento em benefício da saúde, muito melhor. “O Kefir, dentro da legislação brasileira, é um leite fermentado a partir dos seus próprios grãos,  sendo considerado muito melhor que próprio leite, porque ele apresenta na sua estrutura microbiana elementos que o leite não possui, e na sua maturação tanto em temperatura ambiente ou de refrigeração, ele possibilita inúmeras perspectivas que outro  de tipo de leite não tem. No Brasil, ainda estamos engatinhando na utilização do Kefir, mas na Europa, já é utilizado em queimaduras, por exemplo, ajudando numa maior agilidade em repor a pele, e também na prevenção do câncer. Nos já temos inúmeros estudos que comprovam que ele altera a microbiota intestinal beneficamente, ajuda na questão da intolerância à lactose, porque ele tem uma enzima que reduz a intolerância, por meio do substrato feito do Kefir. E agora é o nosso momento de expor o Kefir nacionalmente e trazer isso para todos”. Explicou Geovana Campos.

A nutricionista ainda falou sobre o convite que recebeu do Florence, por meio da coordenação do Curso de Nutrição, para falar sobre o Kefir. “O Florence me deu a oportunidade de mostrar todo o meu conhecimento aqui, porque eu particularmente nunca vi ninguém divulgando o assunto a nível de plateia. Só vi mesmo em laboratórios, onde ficava restrito aos pesquisadores, assim como eu ficava restrita às minhas  pesquisas. Então, é a primeira vez que estou tendo a oportunidade de expor esses conhecimentos. Estou muito feliz por essa oportunidade, e parabenizo a instituição pela iniciativa inédita”.