Instituto Florence desenvolve Projeto de Pesquisa com alunos do Curso de Odontologia

Toda universidade deve apresentar três funções regimentais: ensino, pesquisa e extensão. O ensino, a nível superior, é função e responsabilidade social exclusiva da universidade, enquanto a pesquisa e a extensão são compartilhadas com outras instituições. Na universidade, as atividades de pesquisa têm uma função importante no desempenho do docente e na formação dos alunos, sendo esta atividade acadêmica essencial para o bom desempenho da função do ensino. Em relação à extensão, ela também representa papel primordial na formação do aluno.

Sendo a pesquisa um grande sistema complementar, o Instituto Florence de Ensino Superior, por meio da sua Coordenação de Extensão e Pesquisa (CONEX), está desenvolvendo o projeto de pesquisa “Saúde Bucal de Gestantes: níveis de conhecimentos, hábitos de higiene e alterações bucais em serviços público e privado”, junto aos alunos do 9° período do Curso de Odontologia. Este projeto tem o propósito de investigar a saúde bucal de gestantes no setor público e privado, as alterações bucais que ocorrem nas gestantes e fazer um levantamento socioeconômico, proporcionando aos acadêmicos um profundo aperfeiçoamento formativo, entendendo-se que a pesquisa tem o compromisso de formar não somente estudiosos ou cientistas, mas também é de fundamental importância para o desenvolvimento e saúde da população local, regional, e até mesmo nacional, sendo difundindo na instituição, por um meio tão amplo que é a graduação superior.

O aluno Francisco de Sousa Cruz, do 9° período de Odontologia, comentou sobre o projeto e sua importância. “O projeto surgiu a partir do nosso interesse em enfatizar o conhecimento da gestante sobre saúde bucal. Nós percebemos que a gestante tem medo do dentista por achar que por estar grávida corre risco e o feto também e queremos a partir desse projeto comprovar que não existe isso e também comprovar as alterações bucais que ocorrem na gestante. Então, partindo dessa premissa decidimos por nós mesmos, com o apoio da professora Eduarda Bogea e da professora Anali Linhares, que esta à frente da CONEX, pela realização da nossa pesquisa”. Relatou o aluno.

A formação acadêmica sólida que o Florence oferece na parte teórica, juntamente com a pesquisa, oferece ao aluno além de um excelente nível curricular, a possibilidade de sair da instituição com um projeto de pesquisa no seu currículo, facilitando seu ingresso no mestrado acadêmico.

“O Florence tem evoluído bastante na área da pesquisa e extensão, e está sendo um grande prazer poder realizar e colocar em prática o que a gente já sabe sobre a importância da pesquisa na teoria. Então, vai ser de grande valia para os alunos, para nós docentes e pra instituição que realiza a pesquisa. Nos últimos 8 meses nós, a equipe de pesquisa, amadurecemos o projeto e iremos iniciar nossa coleta de dados, tanto na clínica particular do Cegine, como também nas Unidades básicas de Saúde de São Luís. Com a coleta de dados, esses alunos vão poder entrar em contato com as gestantes e com questões que envolvem o nível de conhecimento sobre a saúde bucal, conhecer os dados socioeconômicos e demográficos e as principais alterações bucais da gestante”. Explicou a Coordenadora do Curso de Nutrição, professora Eduarda Gomes Bogea.

A atividade de coleta foi iniciada nesta terça-feira (07), e a pesquisa terá a duração de 3 a 4 meses, onde serão avaliadas uma média de 200 a 250 gestantes.

“Como coordenadora de pesquisa e extensão, percebi que o nosso aluno está com um perfil cada vez mais voltado para seu crescimento acadêmico, por meio de atividades que vão desde a monitoria até o desenvolvimento de projetos de pesquisa e extensão. O Instituto Florence, com seu corpo docente e coordenadores, está conseguindo movimentar os alunos, deixando-os inquietos, para que assim eles procurem os professores e acabem chegando ao ponto máximo da pesquisa. Nosso intuito é exatamente provocar, incentivar e movimentar cada vez mais a pesquisa, pois percebemos que a pesquisa é um dos pilares da educação, logo é a base de formação do nosso aluno. Um aluno que é motivado a conhecer, a exercer o papel de aluno-pesquisador  terá uma visão muito abrangente do espaço, da sua profissão e isso é enriquecedor tanto acadêmica, quanto pessoal e profissionalmente. O Instituto Florence  de Ensino Superior, juntamente com a Conex, está exercendo seu papel acadêmico de incentivador, tanto do professor quanto do aluno”. Finalizou a professora Anali Linhares, coordenadora da Conex.