Projeto “Odontologia em Ação” que leva educação e prevenção para comunidade da Ilhinha finaliza atendimentos do primeiro semestre

 


Alunos do curso de Odontologia do Instituto Florence de Ensino Superior, das disciplinas Odontologia Social II e IV e Odontopediatria I e II, finalizaram na última semana o primeiro semestre do projeto de extensão “Odontologia em Ação”, que foi realizado todas as terças-feiras, entre fevereiro e junho de 2018 , na Creche Escola Caminho do Saber, no Bairro da Ilhinha, localizado na área do São Francisco.

O objetivo do projeto é minimizar a prevalência e incidência de problemas da cavidade oral tais como: doença cárie, traumatismo dental, doença periodontal, dentre outras, utilizando meios educativos e preventivos. Inicialmente, foi efetuado um levantamento epidemiológico, sendo este, realizado por discentes do Instituto Florence de Ensino Superior, devidamente calibrados, utilizando os índices CEO-D (cariado, extração indicada, obturado – dente) e CPO-D (cariado, obturado, perdido – dente), usando a ficha clínica adaptada e os critérios e códigos adotados pelo Projeto SB Brasil 2010. Os alunos também abordaram assuntos da odontologia preventiva por meio de palestras, oficinas e métodos lúdicos, como peças teatrais, teatro de fantoches e brincadeiras. 

Os resultados alcançados impactaram na melhoria da qualidade da saúde oral das crianças, com a redução da prevalência e incidência da doença cárie, elevando o conhecimento da comunidade sobre a importância da higiene oral. Foram examinadas 145 crianças, devidamente matriculadas nos turnos matutino e vespertino da Creche Escola Caminho do Saber com idade de 2 a 7 anos. Destas, 6 iniciaram seu atendimento na clínica escola do Instituto Florence de Ensino Superior.

Segundo a professora e coordenadora do projeto, Luciana Santos Malheiros o “Projeto de Extensão Odontologia em Ação”, foi pensado com o intuito de promover a saúde bucal junto à comunidade e mostrar que o conhecer e saber definitivamente dão poder às pessoas. “Essa troca de saberes entre todos os envolvidos (docentes, discentes e comunidade) tem um valor não só acadêmico, de formulação de TCC, artigos, prática clínica, mas também para a vida. Neste sentido, almejamos que mais acadêmicos do Instituto Florence possam se engajar no trabalho. Por isso, haverá a continuação do projeto no segundo semestre de 2018”. Finalizou a professora.